Arquivo da categoria ‘Paulino Werneck’

Mais um dia de sol para os insulanos, mais uma oportunidade para a Ilha do Governador demonstrar sua áspera beleza para quem quiser, e puder. Continuando as andanças por terras atípicas, o blog teve a possibilidade de desbravar duas das áreas mais povoadas do local: o Cacuia, com seu comércio celebrado e em constante progresso, e o Cocotá, que promove a junção do belo com o decadente, da finesse com o ríspido… Não acredita? Basta caminhar por poucos minutos na selva de pedras a beira-mar!

A selva de pedras a beira-mar. Cacuia e Cocotá, os bairros mais populares da Ilha.

O Cacuia, localizado na parte central da Ilha, é única e necessária em seus pormenores: a feira livre, o comércio popular, os supermercados e as lojas de departamento são opções mais em conta para as compras. E lá que encontra-se o berço do samba insulano, com a quadra da União da Ilha fervilhando desde já com os preparativos para o carnaval do próximo ano.

A curiosa geometria do cemitério: alguns túmulos parecem estar dispostos na diagonal.

Um dos locais mais democráticos de toda região, é onde todos os moradores recolhem-se para o descanso eterno: e lá que observa-se o único cemitério da Ilha do Governador, adentrando por quarteirões incansáveis e surpreendendo com sua geografia, no mínimo, curiosa – os túmulos são dispostos, por vezes, na diagonal. Para completar, o Hospital Paulino Werneck, tímido, solitário e quase abandonado. Espera-se, por sinal, que novos ventos possam dar fôlego à instituição.

O antigo Paulino Werneck, tímido, abandonado e no aguardo de novos ares.

Em alguns minutos, chega-se ao aterro do Cocotá, não menos importante economicamente. A força do comércio é tamanha que até aos domingos a feira livre encontra espaço e público para alcançar o seu ápice. É em uma praça adaptada, com possibilidades para todas as tribos, que o Cocotá agrada à Gregos e Troianos. Do skatista à criança, do jovem ao idoso, das mães aos capoeiristas, todos possuem espaço no lugar, verdadeira Torre de Babel tupiniquim!

Na orla do Cocotá, a Praia da Bandeira... Um dos mais belos quadros da Ilha.

A atual – mas nem por isso superior – estação das barcas é localizada na Praia da Bandeira. Difícil é conceber que um lugar tão bonito possa padecer em frente à um povo tão animado e descontraído. Uma unidade da UPA foi construída recentemente no lugar, com a intenção de amenizar o fluxo intenso do Paulino Werneck. Aparentemente, a empreitada vem obtendo relativo sucesso.

Inaugurada em 2009, uma nova unidade da UPA procura amenizar o fluxo intenso do Paulino Werneck.

Para completar, a Lona Cultural Renato Russo dá mais graça e promove a cultura ao lugar. Vale lembrar, também, que o cantor foi morador da Ilha durante alguns anos de sua vida. Justa homenagem para figura tão importante para todos Brasil, eternamente venerado pelos saudosos contemporâneos.

Em memória a um dos mais ilustres insulanos, a Lona Cultural Renato Russo.

* Todas as fotos presentes no post são de autoria de Rafael Vieira e foram alteradas através de programa de edição de fotografias.

Anúncios